terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Escreva hebraico no navegador!

É com muito prazer que apresento o teclado hebraico, que possibilitará teclar com as vogais no navegador! A dica é do grande amigo Luís Antônio dos Remédios, que para postar o texto que preparou com muito carinho me deu autorização, pelo qual muito o agradeço!


Escreva em Hebraico no Navegador: No orkut, e-mails, sítios, etc., ou em qualquer editor de texto.

Pessoal, aqui vai uma preciosa dica para se escrever em hebraico que é aceito até na Net.
Eu sei que muitos já o usam, mas outros desconhecem.
Acesse:

http://zsigri.tripod.com/fontboard/hebrew.html#download

......................

Acesse DOWLOAD
E baixe Download fbhebrew.zip (290 kB)

Então baixe para o seu destop a pasta <<>> que instalará o programa <<>>

Depois de instalar e reiniciar o Windows©, acesse: INICIAR > PAINEL DE CONTROLE > CONFIGURAÇÕES REGIONAIS > IDIOMA > DETALHES > e escolha: HEBRAICO-Hebrew ASDF ADICIONAR

E pronto.

Na barra de status do Word, aparecerá PT [?]
Para escrever em Hebraico, clique em PT e escolha HE Hebraico
E pronto: o seu teclado estará configurado para escrever em hebraico, e as letras quase correspondem às letras do teclado com a diferença de algumas letras: Q = ק,   E = ה,   Y = ט,   O = ע.   ´ (acento agudo) = (m ם final),   [ = ן (N ן final),   F = ף (F/Pפ final).   H = ח,   J = ך (K כ final),   X = ץ  (C צ final).

Na "Barra de tarefas" ao lado da barra "Iniciar", aperte o botão direito do mouse e chique em "Barra de ferramentas" e depois "Barra de idiomas". Aí aparecer PT (português) e HE (hebraico).
Boa sorte.

מַזָל טוֹב
MAZAL TOV


AS VOGAIS


Para se colocar as vogais massoréticas e outros sinais nas consoantes hebraicas:
Não sei com outros teclados, mas no meu “Português (Brasil ABNT)”, que contem a tecla Alt Gr ao lado direito da barra de espaço:

a) VOGAIS (as consoantes são para exemplo):

Alt Gr + A =   ַ  ( PATHAKH [“A” breve] =  אַ )

Alt Gr + Q =   ָ   ( QÂMETS [“A” longo e “O” breve] = אָ)

Alt Gr + E =   ֶ   ( SEGÔL [“E” breve] =  אֶ )

Alt Gr + C =   ֵ   ( tCÊRÊ [“E” longo] =   אֵ )

Alt Gr + I =   ִ   ( HIREQ [ I ] =   אִ )

Alt Gr + O =   ׁ   ( HÔLEM [“O” longo] =   וֹ )

Alt Gr + U =   ֻ   ( QIBÛTS [“U” breve] =  אֻ )

Alt Gr + D =   ּ   ( SHÛREQ [“U” longo] = com Vav  

b) SEMI-VOGAIS (SHEVA COMPOSTO):

Alt Gr + Z =  ְ (SHEVA = הְ )
.
Alt Gr + 1 =  ֲ  (SHEVA com PATHAKH [ǽ ] = אֲ 
.
Alt Gr + 2 =  ֳ  (SHEVA com QÂMETS KHATUF [ o ] = אֳ
.
Alt Gr + 3 =  ֱ  ( SHEVA com SEGHÔL [ e ] =  אֱ


SINAIS DIACRÍLICOS:

Alt Gr + S =  ׂ  (encima do SHIN ou do SIN = שׁ שׂ )

Alt Gr + D =  ּ  (DAGUÊSH e MAPPÎQ = כּ הּ )

Alt Gr + R =  ֿ  (RAFÊ = בֿ )

Alt Gr + ( hífen) =  ־  (MAQQÊF [ a ] = א־ק )


OUTROS:

Alt Gr + J = duplo YÔD = ײ
.
Alt Gr + V = duplo Vav = װ
.
Alt Gr + M =  ֽ  (METHEGH = בֽֽ

Resumo (com acréscimos):

Combinações com a tecla AltGr

Use AltGr (= A tecla “Alt” direita) para digitar diacríticos e pontuações:

AltGr + A → patah
AltGr + C → cere
AltGr + D → dagesh
AltGr + E → segol
AltGr + G → geresh
AltGr + H → gershayim
AltGr + I → hiriq
AltGr + J → tsvey yudn
AltGr + M → meteg
AltGr + O → holam
AltGr + P → paseq
AltGr + Q → qamats
AltGr + R → rafe
AltGr + S → sin dot
AltGr + U → qubuts
AltGr + V → tsvey vovn
AltGr + W → shin dot
AltGr + Y → vov yud
AltGr + Z → sheva
AltGr + ` → sheva
AltGr + 1 → hataf patah
AltGr + 2 → hataf qamets
AltGr + 3 → hataf segol
AltGr + 4 → New Sheqel
AltGr + - → maqaf
AltGr + + → ±
AltGr + \ → paseq
AltGr + [ → [
AltGr + ] → ]
AltGr + ; → sof pasuq
AltGr + < → « AltGr + > → »

Tecla Shift

Shift + A → „
Shift + C → ©
Shift + D → °
Shift + E → €
Shift + L → £
Shift + M → em dash
Shift + N → en dash
Shift + P → ¶
Shift + Q → “
Shift + R → ®
Shift + S → §
Shift + T → ™
Shift + W → ”
Shift + X → ’
Shift + Y → ¥
Shift + Z → ‘

Para melhor visualização das palavras com fonte hebraica, marque todo o texto e selecione “Times New Roman” e aumente a fonte para 20 ou mais.

שלום אדני

Como é possível ler hebraico sem as vogais?

Pergunta: como faço para ler em hebraico sem os sinais massoréticos? como é possível saber quando e qual vogal está inserida ali?

Reposta: Obrigado por sua pergunta! São pessoas como você que nos dão motivação para continuar!

Isso é coisa para anos de aprendizado. Não se preocupe com isso agora.

Mas para respondê-lo, desde tempos mui remotos se sentiu a necessidade de se vocalizar "um pouco" o texto, e aí passou-se a uzar certas consoantes para representar vogais, o que torna bem menos penosa a leitura.

Quando se inventou os pontos vocálicos, percebeu-se que tinha consoantes que só funcionavam ora representar vogais então eis a solução: fundir as vogais a essas consoantes! Por isso você vai perceber que algumas vogais são a soma de um ponto vocálico com uma consoante.

Baseado nisso, deixo duas palavras para observação:

תוֹרָה = torá
טַלֵּית = tallet, a pronúncia sefardita para o xale judaico de orações. Perceba que o iod não tem
som algum, está ali para representar uma vogal. Espero não ter complicado!

ivrit5770@hotmail.com

Aprenda a escrever o hebraico cursivo!

Essa é a escrita cursiva que já foi apresentada (Clique para aumentar, na imagem ou aqui)

Aqui você aprenderá a escrevê-la. Assim se escreve à mão no estado de Israel.

No momento não se preocupe com caligrafia (conectando as letras): ela vem com muito tempo de escrita, e muito dificilmente você desenvolverá uma caligrafia sem conviver com pessoas que diariamente escrevem nesse alfabeto...

Na verdade nem é sempre que dá pra conectar as letras. Ao contrário do nosso cursivo, em hebraico não há a preocupação de se escrever uma palavra inteira sem tirar o lápis do papel...

Shabua tob! (boa semana!)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Porque se celebra Hanucá?

Mais uma vez não tive tempo para fazer aquele post explicando o feriado judaico que está às portas para nosso amigo não-judeu... mas deixo link!

http://www.chabad.org.br/datas/chanuca/index.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Chanuc%C3%A1

Humor de Hanucá

Hanucáaaaaaaaaaa gone metallllllll!!!!

http://www.youtube.com/watch?v=mWxNIugadMA

Hanucá!

Hanucá!

Está chegando...

As regras básicas para sefaradim são:

1- Acende-se as velas: Uma vela por pessoa de casa no mínimo (mishnê torá), sendo costume acrescentar uma vela a cada dia, da direita para a esquerda, de forma que no oitavo dia se acendam oito velas.

2- As bênçãos do que acende:

I) Barukh atá .:A:. Elo-hênu mêlekh hangolam, asher kideshânu bemissvotav vessivânu lehadlic ner shelahanucá

II) Barukh atá .:A:. Elo-hênu mêlekh hangolam, shengassá nissim laabotênu baiamim hahem, bazeman hazê

III) Barukh atá .:A:. Elo-hênu mêlekh hangolam sheheheiânu vekiiemânu vehiguingânu lazeman hazê.

No primeiro dia se diz as três bênçãos. nos demais, apenas as duas primeiras. Rambam diz que a primeira bênção diz o que acende, e a segunda, o que vê e o que acende, sendo que a terceira, só quem acende na primeira noite.

Depois, diz-se "hanerot halálu" o qual, assim como os trechos "ngal hanissim" para a ngAmidá podem se encontrar em qualquer sidur.

Disponibilizo esse PDF que preparei no hanucá do ano passado para anussim:
http://www.4shared.com/document/kryYh2SB/Celebrando_hanuc.html

3- Outra importante misvá desse "hag" é a recitação do halel.


O halel como foi esposto pelos gueonim e dos sábios do talmud, pela descrição do Rambam consta em dizer a bênção Barukh... asher... Vessivânu ligmor et hahalel. E ler os salmos 113-118 e os versos "iehalelúkha".


Podes baixar todas essas leis e o halel clicando em
http://www.koltuvsefarad.com/text/hiljotjannuka.pdf

Chave de transliteração para essa página:

ng: ngáin (ע) - Segundo a tradição dos judeus hispano-portugueses, assim é pronunciada essa letra, tendo som nasal/gutural. Pronuncia essa muito mais simples que a correta semítica, que se pronuncia apertando a garganta por um momento.

h: het (ח) - Historicamente, tem sido essa letra transliterada no meio sefaradita como "H", porém o discriminamos pois a pronúncia dessas letras não tem a ver uma com a outra: a primeira se pronunciava fortemente na garganta (e não no palato, como o "khaf"), e a última é uma aspiração, como em "horse".

domingo, 21 de novembro de 2010

Tecle em hebraico

Site onde você pode teclr em hebraico, copiar o texto e postar onde quiseres, inclusive no navegador. Depois vou postar aqui como teclar em hebraico inclusive no navegador e o melhor: com as vogais!

http://www.tero.co.uk/magictyper/hebrew.php

Esse site é bem melhor, as letras geralmente são as correspondentes, o que facilita bastante. É uma boa para quem não quer instalar teclados ocupando espaço em seu windows.

Chalom!

Atualizado em 3 de setembro de 2011
ivrit5770@hotmail.com (for msn contact only)

Falando Nisso...


Ho micro Prinkepas - Grego

Der kleiner printz - Yiddish


Hanassikh haqatan - Hebraico

El princhipiko - Ladino


Em aramaico LOL

Em hieróglifos egípcios, dá pra acreditar? Afinal, Ramsés II também precisa de literatura boa!

Veja mais aberrações em
http://www.petit-prince.at/collection.htm

Hebraico: Outras escritas

Escrita a mão do alefbet tal como o conhecemos

O que vimos até aqui no hebraico foi o alfabeto tal como está nos textos impressos (bíblia, etc.). Porém temos em uso vários outros estilos e caligrafias hebraicas. Vamos nesse tópico falar do alfabeto cursivo, usado em escritas manuais e o "rashi", usado no mundo do judaísmo, como comentários rabínicos e amplamente utilizado na tradição sefardita, por exemplo.

Quem tem "Torá, a lei de Moisés", a nova edição, verá, na capa, letras cursivas. No texto, o alfabeto impresso mesmo, e nos comentários, rashi.

Vamos a algumas imagens:
Aqui você pode ver um jornal israelense usando o alfabeto que você já conhece. O estilo da escrita pode variar, assim como eu posso teclar em várias "fontes" com nosso alfabeto ocidental.

Anotações em alfabeto cursivo. Torna-se bem mais fácil do que desenhar as letras tal como aprendemos. A caligrafia pode variar muito também.


Por último, Eis a capa da nova edição em ladino (dialeto judeu-espanhol) do clássico "O Pequeno Príncipe". O Judeu-espanhol se escreve com letras "rashi', enquanto o Yiddish (judeu-alemão), muito mais popular, se escreve com o alefbet traducional mesmo.
Vamos à tábua de correspondência dos três alfabetos:

Posteriormente, disponibilizaremos fontes de todos os tipos de escrita hebraica.

Obrigado por nos acompanhar!

Explicando profecias #1 - Isaías, capítulo 7

Chalom!

Voltaremos agora, depois dessa maratona do hebraico, ao Tanakh em si. Começando por explicar alguns textos das profecias que consideramos mal interpretados, inclusive arrancados de seu contexto hebreu. Esperamos a atenção do leitor cristão assim como sua mente aberta. Não estamos sendo proselitistas, mas como já dissemos várias vezes, a Bíblia Hebraica deve ser vista muito mais que a Bíblia em uma outra língua, deve ser vista como todo um mundo novo, onde cada letra significa muita coisa!

Vamos começar pelos capítulos entre o sétimo e o nono do profeta Isaías. Vejamos do que se trata:

1 Sucedeu, pois, nos dias de Acaz, filho de Jotão, filho de Uzias, rei de Judá, que Rezim, rei da Síria, e Peca, filho de Remalias, rei de Israel, subiram a Jerusalém, para pelejarem contra ela, mas não a puderam conquistar.
2 Quando deram aviso à casa de Davi, dizendo: A Síria fez aliança com Efraim; ficou agitado o coração de Acaz, e o coração do seu povo, como se agitam as árvores do bosque à força do vento.3 Então disse o Senhor a Isaías: saí agora, tu e teu filho Sear-Jasube, ao encontro de Acaz, ao fim do aqueduto da piscina superior, na estrada do campo do lavandeiro, 4 e dize-lhe: Acautela-te e aquieta-te; não temas, nem te desfaleça o coração por causa destes dois pedaços de tições fumegantes; por causa do ardor da ira de Rezim e da Síria, e do filho de Remalias.
Isaías 7, 1-4

É óbvio que trata-se de dois reis, o da Síria e o do reinado de Israel ("do Norte"), que ameaçavam o coração do rei Acaz, de Judá, concorda? Vamos continuar.

7 Assim diz o Senhor Deus: Isto não subsistirá, nem tampouco acontecerá. 8 Pois a cabeça da Síria é Damasco, e o cabeça de Damasco é Rezim; e dentro de sessenta e cinco anos Efraim será quebrantado, e deixará de ser povo.
7-8


Assim diz o Senhor (hb: Có amar Hashem), assim começam os profetas a falar o dito de Deus em toda a Bíblia. Ora, o que quer isso dizer senão que toda a profecia dos próximos capítulos tem a ver com Rezin e Peca?


10 De novo falou o Senhor com Acaz, dizendo:

Considero propositadamente mal traduzido isso! Hebraico: וַיּוֹסֶף ה', דַּבֵּר אֶל-אָחָז לֵאמֹר.
"E acrescentou o Senhor, fala a Acaz por dizer". É isso continuação, nunca uma quebra da profecia!

11 Pede para ti ao Senhor teu Deus um sinal; pede-o ou em baixo nas profundezas ou em cima nas alturas.

Muito bem, atentemos aqui para a palavra sinal. Veja o que diz o comentário de A Bíblia TEB (Tradução Ecumênica da Bíblia):

Em IS, sinal não é necessariamente um milagre, é algo que se pede que se tenha imediatamente sob os olhos para confirmar o propósito de Deus...

Agora, vejamos que diz a Bíblia sobre sinal:

"O meu arco tenho posto nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra" (Gênese 9, 13)

"E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança entre mim e vós." (Gênese 17, 11)

E isto te será da parte do SENHOR como sinal de que o SENHOR cumprirá esta palavra que falou. (Isaías 38,7)

E deu, naquele mesmo dia, um sinal, dizendo: Este é o sinal de que o SENHOR falou: Eis que o altar se fenderá, e a cinza, que nele está, se derramará. (Reis I 13,3)

E isto te será da parte do SENHOR como sinal de que o SENHOR cumprirá esta palavra que falou.

Eis que farei retroceder dez graus a sombra lançada pelo sol declinante no relógio de Acaz. Assim retrocedeu o sol os dez graus que já tinha declinado. (Isaías 38, 7,8)

E ele disse: Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me um sinal de que és tu que falas comigo.
Rogo-te que daqui não te apartes, até que eu volte e traga o meu presente, e o ponha perante ti. E disse: Eu esperarei até que voltes.
E entrou Gideão e preparou um cabrito e pães ázimos de um efa de farinha; a carne pós num cesto e o caldo pôs numa panela; e trouxe-lho até debaixo do carvalho, e lho ofereceu. (Juízes 6, 17-19)

Está claro que é sinal na Bíblia: um marco de que algo vai acontecer ou que Deus está conosco, e que Isaías queria que o rei pedisse uma garantia que não deveria temer a ameaça dos dois reis já citados. 

Bem, voltando ao texto!

14 Portanto o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel [Deus está conosco].

Eis o sinal, a garantia para não temer o perigo próximo de Acaz!

Má tradução: Virgem. Não existe na Bíblia Hebraica a palavra virgem no gênero masculino. A perda da virgindade é a perda do hímen. A palavra usada aqui, `almá, tem correspondente masculino: `Êlem, que significa mancebo, jovem. Está claro: Almá = moça jovem.

Detalhe: o texto não diz "olha que milagre, uma almá vai ficar grávida!", e sim "vou dar um sinal pra você: A almá está grávida..." (no presente), ou seja, um sinal: uma moça próxima a você, que você sabe quem, está grávida.

Não sou a favor dessa turma que fica paganizando tudo, mas não dá pra deixar de citar as mães-virgens e meninos-deuses deuses-sóis nascidos em 25 de dezembro que morrem e ressuscitam! Não vou insistir nisso, pois a internet está cheia de páginas que levantam esses questionamentos. De fato já li dois livros, sem falar de vários vídeos de autoria de pastores cristãos que fazem uma correlação entre essas mães virgens e esses meninos deuses com outras religiões, como o catolicismo, Só não vêem que também creem no mesmo Jesus, não é mesmo? *

15 Manteiga e mel comerá, quando ele souber rejeitar o mal e escolher o bem.

Por acaso aquele que não tem pecado passará por isso? Um período de tempo em que não se sabe rejeitar o mal e pode-se pecar sem consciência? Como seria ele o imaculado cordeiro se tivesse pecado durante a inocência?

16 Pois antes que o menino saiba rejeitar o mal e escolher o bem, será desolada a terra dos dois reis perante os quais tu tremes de medo.

Será que trata-se de quase mil anos depois, quando em existiria mais Assíria? Acaz não ficaria muito cansado esperando pelo sinal divino??

17 Mas o Senhor fará vir sobre ti, e sobre o teu povo e sobre a casa de teu pai, dias tais, quais nunca vieram, desde o dia em que Efraim se separou de Judá, isto é, fará vir o rei da Assíria.

Mais um texto mutilado pela Bíblia cristã! A palavra "mas" foi acrescentada descaradamente mudando a compreensão original. O versículo deve ser entendido como continuação imediata do versículo anterior: יָבִיא ה' עָלֶיךָ - ...trará o Senhor para ti...

Em fim, a profecia fala do fim do império assírio, inclusive cita os povos que futuramente iriam assolá-la.

Repito: essa é a interpretação LITERAL do texto. Você pode acrescentar aí o que bem interessar, assim como pode pegar uma seção de textos para dizer que o diabo está em toda parte desde 1914...


Obrigado pela atenção!

_____________________________

* a menção é para "Maçonaria do Outro Lado da Luz", por WIllian Schnoebellen e "Lições da História que não Podemos Esquecer", por Abraão de Almeida.


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Leia hebraico em uma semana! #4 - Outros sinais, sílabas

Shalom!

Com muito prazer chegamos até aqui, auxiliando quem tem interesse em aprender a bíblia em seu contexto original nas noções mais básicas do idioma. Prometo, porém que não vai ficar até aqui apenas! Isso foi o básico dos básicos, ensinando a ler um texto impresso. Vamos ter textos avançados como outros "alfabetos" hebraicos (por exemplo, o cursivo, usado para escrever à mão, o rashi, usado em alguns textos dentro do judaísmo, etc.), a pronúncia original das letras (para não confundir o leitor, ensinamos a pronúncia moderna. A pronúncia original é mais complicada para nós ocidentais), aprender a escrever as letras impressas, etc.

Bem, por enquanto, vamos prosseguir com os últimos detalhes que possibilitarão a ler absolutamente qualquer coisa em hebraico.

Primeiramente, temos o daguesh, que é um pontinho (ּ) no meio de certas letras.
Como vimos logo no alfabeto, vet (ב = v) com daguesh vira bet (בּ = b), khaf (כ =kh) vira caf (כּ =k) e fê (פ = f) vira pê (פּ = p). Ou seja, nessas três letras, o daguesh muda o som¹.

Porém o daguesh pode ser usado em todas as letras do alfabeto, exceto álef (א), hê² (ה), hhet (ח), `áin(ע) e resh (ר). Nessas letras, o daguesh serve para dar uma ideia de duplicação e chama-se daguesh forte, mas isso vem depois.

Temos também o shevá (ְ), que são dois pontinhos que aparecem em baixo das letras, como se fosse uma vogal, mas na verdade é uma semivogal, tendo a pronúncia menos cheia que uma vogal (na verdade um impulso para a próxima sílaba, pronunciado levemente como o último "a" em cama). O shevá pode ser mudo ou vocálico. Veja:

* Shevá mudo - Não tem som algum, e serve apenas para marcar o fim da sílaba que termina em consoante. Por exemplo, Marcos = מַרְקוֹס

* Shevá vocálico
- Tem som de "E", mas como já explicamos, é só um impulso para a próxima sílaba, não uma vogal totalmente cheia. Sempre que um shevá não estiver no final de uma sílaba ou palavra, é vocálico e tem som de "E". Calma que a explicação das sílabas vêm mais abaixo!

Esse mesmo sinal pode aparecer junto com algumas vogais, e chamamos esse novo amigo de hátef:

(ֲ) Hátef pátah = meio "a", assim como o shevá é um meio "E"

(ֱ) Hátef segol = meio "e" (não esquente ser a mesma coisa do shevá, você só quer saber ler, lembra?)

(ֳ) Hátef qâmas = meio "o" (é o qamas hatuf, breve, e não o qamas, longo) Sempre O, não tem como confundir com "A".

Memorize isso tudo. Sugiro que se imprima.

.
Noções de divisão de sílabas


A sílaba hebraica tem uma única vogal isso é regra absoluta. Pode ter um shevá vocálico antes da letra em que está a vogal, pois o shevá é meia vogal, e não vogal cheia, como já dissemos.

Exemplificando:

תוֹרָה = to-rá (instrução, lei divina)
שָׁלוֹם = sha-lom (paz, cumprimento)
עִבְרִית = `iv-rit (hebraico) Perceba aqui que já tinha vogal antes do shevá, logo está no fim da sílaba e é MUDO.
בְּרִית = berit (aliança, pacto) uma vogal, uma sílaba. Shevá no começo é "E", mas não conta como vogal!
בְּלֶכְתְךָ = belekh-tekhá (quando andares) shevá no começo = "E" vogal antes do shevá, ele é mudo. Outro shevá? A sílaba começa aqui! Aprenda: sempre que vir dois shevás em sequência, sem exceções: o primeiro é mudo, e o segundo vocálico.
הַמְּדָבֵּר = ham-medab-ber (aquele que fala) Sempre que houver daguesh forte, fica "uma letra" de um lado da sílaba e a outra do outro lado. Lembre-se do bom português "car-ro".

Pra você ver como o hebraico é uma beleza, veja o seguinte:

הַמְּדַבֵּר = הַמְ-מְדַבְ-בֵּר

Nossa, quase chorei aqui! Que coisa linda, não?

Pronto, você já sabe ler hebraico com maestria! Quer ver? Leia o seguinte:

בְּרֵאשִׁית בָּרָא אֱלֹהִים אֵת הַשָּׁמָיִם וְאֵת הָאָרֶץ
Você leu "bere-shit ba-rá Elo-him et hash-shamái-im veet ha-áretz!, não foi?
É isso o primeiro versículo da bíblia hebraica e quer dizer "no princípio, Deus criou o céu e a terra".

Reconheço que não sou o rei da didática, portanto, coloco-me à disposição para responder qualquer dúvida. Me adicione no MSN ivrit5770@hotmail.com.

Pessoal, muito obrigado pela atenção, qualquer dúvida, estamos aí, e se você gostou, por favor, divulgue este blog!

Shalom!



1 na verdade, existem outras três letras que o daguesh mudava o som, mas isso é assunto pra outro curso!

2- Há um ponto que pode aparecer no meio do hê, mas por outros motivos, e não é o daguesh.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Atualizações em breve!

ATUALIZAÇÕES EM BREVE!




Profecias messiânicas, será?


A G U A R D E M ! ! !

Leia: Barukh Hashem!


A pronúncia é "Barurr Rachêm"...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Leia hebraico em uma semana! #3 - As Vogais

Como já vimos, o alfabeto hebraico é composto de consoantes apenas. Houve uma época, porém, que a língua hebraica corria risco de ser extinta, e portanto surgiram muitos judeus conservadores chamados "massoretas" (o nome vem de massorá, tradição), que trataram de desenvolver sinais vocálicos e outros sistemas, de forma que a bíblia pôde chegar até nós tal como está. Aproveito para falar em poucos termos que absolutamente todas as versões bíblicas que temos (ou ao menos as mtradicionais) baseiam-se no texto editado pelos massoretas, isso quer dizer duas coisas: devemos aos judeus ortodoxos e para entender a bíblia precisamos conhecer o contexto associado à edição judaica, o que vai muito além de meras questões linguísticas¹

Bem, com o perdão dessa longa introdução, os sinais vocálicos são pontos ou traços que se colocam junto das consoantes. Como trata-se isso apenas de noções básicas, vamos nos limitar a dizer que as vogais são divididas em longas e breves, e algumas vogais aparecem sempre juntas de consoantes, sendo que o leitor não deve se preocupar com isso, bastando memorizar os sinais da tábua. Ela está organizada de tal forma que os sinais vocálicos estão exatamente junto de suas correspondentes portuguesas tal como estão em relação às letras hebraicas. Em azul, as vogais breves. Em vermelho, as longas.




Na esperança de ter o leitor compreendido, resta ensinar de como se juntam as vogais às consoantes, e já será possível ler muita coisa em hebraico! Digo muita coisa porque faltarão uns detalhes que entrarão numa última postagem. Tenha à disposição as duas tabelas: consoantes e vogais e tente ler algum texto em hebraico que tenha transliteração para você conferir. deixarei palavrinhas fáceis de identificar para você tentar ler:

Se decifrou, parabéns!

OBS.: Essa postagem foi atualizada em 20 de Janeiro de 2013






1 vide o artigo "você conhece a bíblia de fato?"

domingo, 7 de novembro de 2010

Hebraico (básico) - Sugestão de livros, download e novo link

Aos iniciantes, sugiro que adquiram o curso "hebraico passo a passo", do Morê Valter Alexandre, e o livro "Noções de hebraico bíblico", por Paulo Mendes. Ambos são extremamente didáticos e me ajudaram muito. Com certeza vão te ajudar também. Clique para visitar um site onde poderá adquirir.

Muitíssimo material didático encontra-se gratuitamente na internet, principalmente em inglês. Encontrei duas apostilas* em pdf para iniciantes em português. Você poderá baixar clicando aqui

Também venho apresentar novo método para iniciantes disponível em www.rabimor.org, que, além de muito didático, ensina a gramática sefaradita, muito mais correta do que o hebraico moderno!

Façam bom proveito de todo esse material!



* Um desses cursos é o do morê Valter, então pelo amor de Deus, comprem o curso! Tudo isso você encontra muito barato, e com o livro, muito melhor que um pdf fem um DVD mais didático impossível, explicando passo a passo.

Leia hebraico em uma semana! #2 - O Alfabeto

O alfabeto hebraico possui 22 letras e chama-se em hebraico alefbet (אלפבית). Essas letras são apenas consoantes (as vogais ão pontinhos que vêm depois) . Algumas letras têm sua pronúncia desconhecida por nós ocidentais, e isso requer uma explicação maior, que vem logo após a tábua do alfabeto.

Algumas letras possuem dois sons, um deles marcados por um pontinho no meio, e outras tem uma forma diferente no final das palavras. Por isso você pode perceber que nossa tábua está dividida em duas partes, uma primeira traz as 22 letras, e logo depois, outras formas. Foi a forma mais simples que achamos de apresentar todas as consoantes que podem aparecer diante do leitor. O hebraico se escreve da direita para a esquerda (<--), assim como o árabe e o aramaico. Pelos conhecimentos dados até aqui, você escreveria em hebraico assim: CRBH. Para visualizar melhor essa tabela, sugerimos que clique sobre ela.



Álef (א) e ‘áin (ע) – São pronunciadas em hebraico moderno da mesma forma, sem som algum. O álef é muito usado no hebraico moderno para representar o som de uma vogal.

Guímel (ג) – Não tem som de “j” como em português, sempre “g” de gato.

Hê (ה) – É algo aspirado, como o h inglês em “house”

Hhet (ח) e khaf (כ) – Pronunciam-se atualmente indiscriminadamente como o “j” espanhol em “Juan”, ou seja, um RR forte pronunciado no “céu mole da boca”.

Caf (כּ) e qof (ק) – Se pronunciam atualmente como o “c” de “casa”, jamais como em “Ciro”

Lâmed (ל), Mem (מ), nun (נ), sâmekh (ס) e sin(שׂ) – Não leia como se lê em português,lado e não sinal mala, e não falam, nabo, e não falando, sabão e não Casa.

Tzadi (צ) – Um “ts”, como a pronúncia de PIzza.

Resh (ר) – como em Caro, jamais como em Carro.

Shin (שׁ) – como o “ch” português mesmo.

A pronúncia atual é muito diferente da original, mas o iniciante não deve preocupar-se com detalhes por enquanto.



Leia hebraico em uma semana! #1 - Apresentação

Shalom a todos!

Desde que esse blog foi oficializado, me intenciona a compartilhar meus conhecimentos de hebraico bíblico para todos os interessados.

Mais do que nunca, hoje as pessoas estudiosas da religião procuram hoje conhecer o idioma original da bíblia* e o moderno idioma do estado de Israel.

Ler hebraico é uma tarefa fácil, não é complicado ou impossível, como muita gente pensa. por um momento, imagine que o número 8 queira dizer a letra "p". o acento agudo a vogal "a", e finalmente o número 1 a letra i. Vc já sabe que em nosso idioma fictício pai se escreve 8´1. Aprender a ler e escrever um novo idioma (amenos que seja alguma língua do extremo oriente :P) é como aprender a escrever numerais em romano, ou brincar de código secreto com os amigos.

Em fim, organizei um método que possibilitará qualquer um a ler o idioma hebraico em uma semana ou menos, claro, dependendo sua disposição a ler palavras e identificar letras.

Dividiremos esse "curso", além dessa apresentação, em três ou quatro postagens que transmitirão as noções básicas do alfabeto hebraico, das vogais massoréticas, de outros sinais diacríticos e finalmente, a noção de divisão de sílabas, e vc estará capacitado a ler absolutamente qualquer palavra no milenar idioma do povo hebreu, que se escreve "de trás pra frente".

Sugerimos a leitura paralela de um texto introdutório sobre a história do idioma hebraico (disponibilizamos para download uma breve introdução que pode servir), e sempre que possível, voltarei a atualizar esta seção. Sugerimos também que se imprimam as tábuas das consoantes e vogais, para melhor visualização.

Abraços e MAZAL TOV ! מזל טוב


* Sobre a diferença que há em se beber da fonte hebreia e estudar as bíblias tradicionais, preparamos o artigo "Você conhece a bíblia hebraica?"

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Versões da Bíblia Hebraica


Recebemos questionamentos sobre onde conseguir o Tanakh ou Torá em português, ou através da internet. Bom, infelizmente, não temos disponível "on-line" uma versão judaica em português, mas temos em português versões ótimas e altamente recomendadas para o leitor em sua busca pela verdade, ambas a serem adquiridas através do site www.sefer.com.br

O que não significa, no entanto, que não existam excelentes versões judaicas em outros idiomas, disponíveis na internet, totalmente gratuitas, e até mesmo material em português que muito pode ajudar o estudante a compreender a Torá e sua mensagem, interpretados de forma autorizada, ou seja, através da exegese hebraica, e não de formas estranhas ao pensamento original. Vamos aos "links".

1- Bíblia interlinear hebraico português , com comentários assim que necessários, do grande rabino J. de Oliveira. Seria essa a principal ferramenta do falante português que procura estudar a bíblia, não fosse pelo fato de que esse site está "trancado", o que significa que é necessário possuir uma senha para ter acesso ao conteúdo. Experimente enviar um e-mail para rabino@judaismo-iberico.org, expondo suas intenções com o conteúdo do site.

2- Bíblia on line - Excelente site contando com inúmeras versões da bíblia em vários idiomas. Você pode ver, lado a lado, o texto da bíblia em português, na versão que mais lhe aprouver, e o texto hebraico do códex de Alepo.

3- La Torá, traducción al español a los cinco libros dela Torá - excelente tradução judaica em espanhol!

4- The Hebrew Bible in English (JPS 1917 edition) - Versão judaica em inglês.

5- The Complete Jewish Bible, with Rashi comentary - Excelente versão inglesa da Bíblia Hebraica (JP), com comentários de Rashi, o maior exegeta hebreu!

E para você que procura o texto original hebraico:

6- www.mechon-mamre.org - Aí você encontra a Bíblia Hebraica da forma que você quiser, inclusive com sinais de cantilação (te'amim).

Chalom!

Você Conhece Mesmo a Bíblia?

Costuma-se dizer que a Bíblia é o livro mais publicado, traduzido e lido no mundo. Hoje temos a Bíblia em absolutamente todas as línguas do mundo e até mesmo em quase todos os dialetos, incluindo os mais exóticos.

A pergunta é: será que todas as pessoas que leem a Bíblia realmente sabem o que ela quer dizer? Será que a Bíblia pode ser traduzida a que língua se queira de forma fiel, fazendo com que todos entendam sua mensagem?

É sabido que "toda tradução é uma traição", ou seja, é impossível que se traduza de uma língua a outra mantendo todas as ideias presentes no texto original. Nesse artigo em particular vamos conhecer razões suficientes para mostrar que pessoas que estudam a bíblia em traduções têm acesso apenas a uma pequena "face" do texto original

A questão linguística


1- Expressões só entendidas em hebraico
Vamos citar um único exemplo, muito eficaz para mostrar a perplexidade do leitor em português que é explicada por particularidades do texto hebraico:

Jeremias 1, 11-12 - "Ainda veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Que é que vês, Jeremias? E eu disse: Vejo uma vara de amendoeira. E disse-me o SENHOR: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir."

O leitor acostumado a sua bíblia em português perguntará "O que tem a ver o ramo de amendoeira visto pelo profeta com o fato de que Deus vela pela sua palavra para cumpri-la?" Acontece que no original hebraico a palavra amendoeira em hebraico é chaqed (שקד) enquando "velo", verbo velar é chaqad (שקד). Fácil é até para o leitor leigo que ambas as palavras têm origem comum, assim como "pasto" e "pastor" em português.

2- Frases idiomáticas
Todos os idiomas têm suas frases idiomáticas, ou seja frases características que o tradutor terá que traduzir para uma frase correspondente em seu idioma, de forma que seja compreendido. O tradutor inglês-português, para citar um exemplo verá que sua tradução ao pé da letra ficará um tanto estranha em português. Isso é melhor notado ainda em traduções eletrônicas. Exemplos em hebraico seriam má chelomekhá?, que significa literalmente "qual a sua paz?", mas como correspondente idiomático à língua portuguesa melhor se traduziria como "Como estás?", ou seja, a frase que se usa para perguntar pelo bem-estar de alguém. A resposta a essa pergunta é chelomi tob, que significa ao pé da letra "minha paz é boa". Se questionado por sua idade, um falante de hebreu bíblico de 30 anos de idade dirá "ani ben cheloshim chaná", literalmente, sou filho de trinta anos (embora chaná seja uma palavra singular em número).

3- Ausência de vocábulos correspondente e múltipla correspondência
Como um terceiro ponto, se por um lado temos palavras no idioma hebreu sem correspondentes em língua portuguesa (exemplo é visto nas primeiras palavras da bíblia: bará, que significa "criar do nada", e não simplesmente "criou Deus"), por outro há palavras hebraicas que correspondem, cada uma delas a várias palavras em português (rúah = vento, espírito, atmosfera, etc.). Nesse caso, o tradutor sempre escolherá a palavra a verter e, claro, colocará aquela que satisfaça suas crenças pessoais.

4 - A questão cultural
Como um quarto ponto, trazemos como problema à tradução as palavras que trazem em si, muito mais que um vocábulo a ser traduzido, uma expressão cultural do seu povo (o que está relacionado ao ponto 2). Exemplo seria a palavra "inferno". Em nossa cultura, um lugar de sofrimento chefiado pelos "demônios". Em inglês, a palavra "Hell" relaciona-se ao nome de uma deusa da mitologia saxônica. O "Hades" grego é a casa do deus da morte, de mesmo nome, para onde vão tanto bons quanto maus, e finalmente, Cheol, palavra traduzida à vontade em nossas bíblias brasileiras como inferno, sepultura, Seol e outros, quando convém ao tradutor, quer dizer a sepultura, às vezes em sentido figurado.

5- Pausas da Bíblia Hebraica
Na Bíblia Hebraica, o sistema de pausas é muitíssimo diferente da nossa ocidental, o que é um dos maiores causadores de problemas de tradução e interpretação, principalmente em pretensas "profecias messiânicas". Para citar o quanto tem a ver simples pausas com a compreensão do texto, vejamos como exemplo a primeira coisa que o leitor da bíblia verá ao abri-la:
Onde esses simples sinais em vermelhos (em hebraico, te'amim), invariáveis em qualquer edição da bíblia hebraica querem dizer, muito mais que erroenamente pensam alguns: as notas musicais usadas na leitura cantada no culto hebraico (e essas notas variam de uma etnia judaica a outra), servem para separar ou unir uma palavra à outra. Nesse caso, o versículo poderia ser traduzido figuradamente em português como "No princípio, criou-Deus; o céu, e a terra.", o que bem estranho ao leitor falante da língua portuguesa. Também pode isso ser representado como
((בְּרֵאשִׁית (בָּרָא אֱלֹהִים)) ((אֵת הַשָּׁמַיִם) (וְאֵת הָאָרֶץ))) Podemos sintetizar essa divisão como se na bíblia hebraica houvesse uma sequencia de perguntas: "No princípio (o que ocorreu?) criou (quem criou?) De'us (a que?) o céu (algo mais?) e a terra.".

Além dessas pausas menores (pontuação), a Bíblia Hebraica está dividida textualmente entre "parchiot" (textos, porções ou parágrafos) petuhot (abertas, singular: parachá petuhá) e setumot (fechadas, singular: parachá setumá), que são os parágrafos do texto hebraico, representados na Bíblia impressa como letras pe (פ) ou sâmekh (ס), o que também têm implicações exegéticas importantíssimas, e desconhecidas em nossas traduções.

Finalmente a divisão em capítulos e versículos, que associamos assim que alguém pronuncia a palavra "Bíblia", não é algo original, e infelizmente causa inúmeras falsas interpretações, pois sugere uma pausa entre os capítulos. Logo, os capítulos 52 e 53 do profeta Isaías deveriam ser entendidos como uma continuação, e não como capítulos distintos. A divisão de capítulos e versículos das Bíblias Hebraicas também é diferente da nossa. Enquanto Malaquias, o último livro do Velho Testamento cristão tem quatro capítulos, o livro que está mais ou menos a um terço da Bíblia Hebraica tem apenas três. Na "profecia messiânica" de Isaías capítulo 9, o primeiro versículo na Bíblia Bristã, é o último do capítulo anterior na Bíblia Hebraica, o que traz, além de numeração de versículos diferente, provas que o texto de Isaías está ligado um capítulo ao outro, e não entendido separadamente, o que é o motivo de ser chamado Isaías de "o profeta messiânico", pelos cristãos. Isso é apenas um exemplo, há inúmeros desencontros entre versículos entre as bíblias. Aqueles titulozinhos de textos das versões cristãs não existem no original, e infelizmente também inserem interpretações pessoais dos tradutores, causando grande confusão.

Penso que essa seja a altura certa do texto para falar da diferença entre a ordem dos livros na Bíblia Hebraica e a nossa. A Bíblia Hebraica está dividida em três partes: a primeira é o humach, ou pentateuco, a segunda são os profetas, e finalmente, os "escritos". Historicamente esses livros estão classificados pelo judaísmo como diferentes graus de importância, e Daniel, o mais futurista dos profetas, na visão cristã, não é profeta*, e é colocado ao lado de livros históricos e poéticos.

Até aqui falamos apenas de meras implicações linguísticas da Bíblia Hebraica. Pois bem, deve-se ter em mente que o hebraico, muito mais que uma "língua original" que o seminarista deve estudar para conhecer a Bíblia, é um mundo totalmente diferente, onde temos aberrações linguísticas e gramáticas que os escribas nunca mudaram, porque têm seu significado, onde as letras são números e símbolos, falando tanto quanto as palavras que formam! Passemos a considerar agora um pouco desses aspectos:


A questão Exegética

Infelizmente, e como já citamos, as pessoas que estudam hebraico em muitos seminários cristãos acham que conhecem a Bíblia como uma totalidade, e que o estudo do "original" trará mero esclarecimento linguístico, traduzindo do hebraico para o português como se traduz do espanhol para o português. Essas pessoas ignoram, ou pensam que mais conhecem o idioma hebraico que os exegetas, gramáticos e místicos judeus dos últimos dois mil anos (e na literatura judaica há muitíssimas páginas sobre por que a Torá começa com B e não com A [berechit...]), esquecendo-se de que a Bíblia Hebraica não seria compreensível sem a cuidadosa edição massorética, pois sem ela não teríamos sequer o texto hebraico vocalizado, impossibilitando-nos distinguir uma palavra de outra com as mesmas consoantes.

É dever citar o cuidado jamais visto que o povo judeu teve em preservar seu texto sagrado: os sábios massoretas cuidaram em contar as letras do texto sagrado (e você conhecerá essa contagem em qualquer edição impressa do Tanakh), os judeus iemenitas passaram uma verdadeira história separados da civilização judia europeia conservaram sua Torá até hoje com menos de dez letras de diferença das que usamos, quase sempre letras vocálicas, sem falar do zelo excessivo que tem, até os nossos dias um escriba judeu (sofer) para copiar o texto da torá**, isso para evitar ser excessivo em louvores e homenagens.

Começando a citar as implicações exegéticas do texto da bíblia hebraica, convém citar em primeiro lugar os conhecidos

6- códigos da bíblia
Que são jogos incríveis com as letras da Bíblia Hebraica. Para citar um primeiro exemplo, vejamos o texto de gênesis 1,31-2,2, sobre a consagração do sábado nos primórdios da criação:

O leitor que conhece as letras hebraicas perceberá que, aparece, em um intervalo de sete em sete letras (e sete é um número significativo na bíblia), as letras da palavra Israel (ישראל - as letras marcadas com quadrados azuis), em quanto as iniciais de "Iom Hachichi. Vaikhúlu Hachamáiim" (dia sexto, e foram criados o céu) formam o nome inefável de Deus (I-H-V-H - letras indicadas com quadrados vermelhos). Implicando ser o sétimo dia uma estreita ligação entre Deus e o povo de Israel! Veja muito mais desses códigos incríveis em http://www.chabad.org.br/datas/shavuot/a%20tora/codigos_tora.html


A probabilidade de que tais códigos sejam feliz coincidência é de 1 em 62.500.

7- Gematria
No alfabeto hebraico, cada letra tem valor numérico, e esse sistema (conhecido como gematria) revela muito da exegese hebraica. A terra que Deus mostraria a Abraão (ar'eca - gênesis 12, 1), tem o mesmo valor numérico de Éres Iisrael (terra de Israel). Em gênesis 29, 19, "titi" (melhor dá-la a ti) significa gematricamente a matriarca Lea, enquanto "mititi" (do que dá-la a outro) significa Rahel, mostrando com antecedência que Jacob desposaria Lea e só depois Raquel. Existem muitos outros exemplos desses jogos espalhados por toda a Bíblia, dos quais ainda vale a pena citar que os dez mandamentos se acham escritos com 620 letras, entendidas como os 613 preceitos dos judeus ao lado dos 7 preceitos dos demais povos (as leis de Deus para os não-judeus, de acordo com o judaísmo, são 7).

8-"Absurdos" textuais
Não é necessário voltar a citar o zelo do povo judeu em preservar a Bíblia Hebraica. Bem, geralmente se vc estiver copiando um livro em português e vê algo absurdo como um erro de ortografia ou de gramática, a tendência é corrigi-lo. O mesmo se aplica à Bíblia Hebraica, certo? Não! Nossas Bíblias Hebraicas conservam ao máximo o texto original, mesmo quando isso pareça absurdo. Como exemplos de "mistérios" no texto sagrado, podemos citar letras invertidas (fenômeno dos "nuns" invertidos em números 10, 35-36), letras finais no meio da palavra (Isa. 9,7 [6]) letras maiores (bet em "berechit - Gên. 1,1) menores (álef em vaiiqrá - Lev. 1,1), pontos estranhos sobre as palavras (e eram a esses pontos a que o NT se refere como "til"), etc. Todos esses textos tem uma vastidão de interpretações no judaísmo, e correspondem, em português, no mínimo a um "Ç" no início de uma palavra.

Por outro lado temos "absurdos" de concordância, por exemplo "ele" referindo-se a uma mulher, e que não são mudados na Bíblia Hebraica, e sim apontam para uma nota marginal.

Convém ressaltar a forma judaica de interpretação da Torá: "Nossos sábios dizem que a Torá tem "setenta faces", pois a torá foi dada também às setenta nações do mundo". Nesse caso, em sua tradução você só terá acesso a uma dessas faces, deixando de ter acesso a inúmeras outras interpretações possíveis para cada palavra. Uma das formas exegéticas judaicas chama-se pardes, o que é uma sigla de pechat, que é o sentido literal do texto, rêmez, o texto como uma alusão, derach, que é uma interpretação do texto, ou seja, pegar o texto para extrair dele uma lição, e por último sod que é o sentido oculto por trás das palavras.

Seria de meu interesse me prolongar muito mais nesse artigo, motivo pelo qual estarei sempre que possível atualizando esse blog, pois são muitas as pessoas, independentes de religião, que estão extraindo da Bíblia apenas histórias e pressupostos para seu apego fanático a uma religião, esquecendo de recorrer à interpretação original do texto. Certos pastores e membros de igrejas costumam citar que leram dezenas de vezes a Bíblia. Pergunto: Por que, ao invés de ficar lendo tanto uma tradução para o português, que só reflete a ideia do tradutor, esses leitores não estudaram O IDIOMA ORIGINAL, a HISTÓRIA BÍBLICA, a CRONOLOGIA BÍBLICA e a CULTURA JUDAICA?



* Daniel não é considerado um livro profético. De acordo com o Talmud (Babilônico, Baba Batra 15a), trata-se de um livro alegórico, uma espécie de código escrito pelos líderes judeus, na época da perseguição religiosa por parte de Antíoco, para que seus compatriotas confiassem em Deus e não transgredissem os mandamentos .

** O sofer tem de escrever em um alfabeto especial, calculando o espaço de cada letra para que as linhas fiquem bem ajustadas, e ainda deixa o espaço justo de escrever todos os nomes de Deus, pois só os escreve em estado de pureza absoluta, sendo que qualquer erro que não se possa apagar invalida toda uma folha de pergaminho. Há leis regulamentando cada parte do processo de escrita do texto.


quinta-feira, 20 de maio de 2010

A Verdade SObre os Reformadores

B"H

Shalom!

Certamente o afável leitor já foi, não por poucas vezes, visitado por proselitistas em seu trabalho missionário, independente de que subdivisão do cristianismo sejam... Geralmente esses grupos insistem em tentar provar para seu "alvo", que o que eles estão dizendo está "de acordo com a bíblia", e a história se repete, ou seja, todos os grupos proselitistas neo-cristãos tem "embasamento" em teorias bíblicas... Nessa postagem vamos mostrar algumas controvérsias dentro desse tema, como a tradução bíblica tendenciosa usada por muitos cristãos (inclusive temos um post em construção sobre a tradução bíblica).

Esse apego à bíblia como "único manual de fé e prática do cristão", tal como dizem os evangelistas, é relatevamente recente, visto que até a chamada "reforma protestante", o cristianismo não tinha apenas a bíblia como fonte única de inspiração.

Questões


1- Eram os reformadores protestantes "menos desumanos" que seus antigos pontífices, contra quem protestaram, para que sejam mais confiáveis que esses últimos?

Lutero, a quem muitos neo-cristãos têm como o salvador da pátria, alguém insulflado de coragem que protestou contra as desumanidades do clero, contra a compra de fé, entre outras coisas. Terá agido ele melhor que o papa? Vejamos que disse Lutero a respeito dos judeus, depois de convencer-se que não conseguiria convertê-los:

"Em primeiro lugar, suas sinagogas deveriam ser queimadas... Em segundo lugar, suas casas também deveriam ser demolidas e arrasadas... Em terceiro, seus livros de oração e Talmudes deveriam ser confiscados... Em quarto, os rabinos deveriam ser proibidos de ensinar, sob pena de morte... Em quinto lugar, os passaportes e privilégios de viagem deveriam ser absolutamente vetados aos judeus... Em sexto, eles deveriam ser proibidos de praticar a agiotagem [cobrança de juros extorsivos sobre empréstimos]... Em sétimo lugar, os judeus e judias jovens e fortes deveriam pôr a mão na debulhadeira, no machado, na enxada, na pá, na roca e no fuso para ganhar o seu pão no suor do seu rosto... Deveríamos banir os vis preguiçosos de nossa sociedade ... Portanto, fora com eles...

Resumindo, caros príncipes e nobres que têm judeus em seus domínios, se este meu conselho não vos serve, encontrai solução melhor, para que vós e nós possamos nos ver livres dessa insuportável carga infernal – os judeus." (Martim Lutero: Concerning the Jews and their lies [A respeito dos judeus e suas mentiras], reimpresso em Talmage, Disputation and Dialogue, pp. 34-36.)


Outro brilhante reformador fora Calvino, pai daqueles que acreditam no mundo como o teatro divino, vejamos que diz certo escritor sobre uma de suas magníficas obras:

"Calvino, pai dos presbiterianos, mandou queimar o espanhol Miguel Servet Grizar, médico descobridor da circulação sanguínea. Acusado de heresia, Servet foi preso e julgado em Lyon, na França. Conseguiu evadir-se da prisão e quando se dirigia para a Itália, através da Suíça, foi novamente preso em Genebra, julgado e condenado a morrer na fogueira, por decisão de um tribunal eclesiástico sob direção do próprio Calvino. A sentença foi cumprida em Champel, nas proximidades de Genebra, no dia 27 de outubro de 1553. Puseram-lhe na cabeça uma coroa de juncos impregnada de enxofre e foi queimado vivo em fogo lento com requintes de sadismo e crueldade." (Cf. Wilhelm Gottieb Soldan, Geschichte der Hexenprozesse aus der Quellen dargestellt, Stutgard, 1843; 2º edição revisasda: Soldan-Ludwig Julius Heppe, Geschichte der Hexenprozesse, 2 vols. Stuttgard, 1880; 3º edição revisada: Soldan –Heppe-Max Bauer, com o mesmo título, Munique, 1012, tomo I, p. 530.)

Se o leitor deseja continuar a ler a brutalidade dos desbravadores protestantes, por favor, leia o seguinte artigo: http://caiafarsa.wordpress.com/a-inquisicao-protestante/

Logicamente, o fato de não terem sido menos desumanos esses religiosos não desqualifica seus ensinamentos, mas que fique bem claro que não é o protestantismo da sola scriptura menos histórico que sua mãe, no quesito derramamento de sangue.

Pequena História da Língua Hebraica

Pequena História da Língua Hebraica, por Haim Rabin

Kaluach 3 Download


OBS.: O "CH" de 'kaluach' é lido como um 'RR' bem forte, ou como o 'J' espanhol.

Kaluach (kabalistic luach) é um software que traz o calendário judaico ao lado do gregoriano, com o qual estamos acostumados, tendo em vista os feriados judaicos, as parashot que estudamos no shabat, a prática diária do israelita, detalhes dos anos e muito mais! Detalhe: o kaluch tem tantos anos pra frente que quando o mashiah vier, o kaluach ainda estará marcando a data (que venha sem demora!). A versão que apresentamos aqui é o kaluach três, uma das melhores.


Com o Kaluach, não tem tempo ruim.

Hebraico - introdução

Shalom, pessoal!

De agora em diante, nosso blog terá um enfoque maior na língua hebraica, ferramenta indispensável para se conhecer a bíblia. É impossível, porém, falar de hebraico (ou qualquer outro idioma, visto que um idioma isolado de sua cultura nada é) sem antes passear um pouco pela cultura e história desse idioma. Sugiro aos interessados visitar a página da wikipédia, a enciclopédia livre, sobre língua hebraica, pois seria muito complexo e longo demais postar aqui o que desejamos que seja introdutório para se descobrir o "ivrit" propriamente dito.

Por outro lado, já disponibilizamos em nossa página de downloads, um arquivo destinado a explanar a história da lingua hebraica, em breves linhas Confira!

O Nome Divino no Judaísmo

Chalom!

A partir surgimento das Testemunhas de Jeová, que por sua vez surgiram da "Igreja Adventista do Sétimo Dia", surgiram vários segmentos cristãos preocupados com o nome de Deus, que fora 'escondido' pelos judeus. Jeová, Javé, e mais recentemente Yaohu: todos são nomes 'trazidos à tona' por esses grupos que, sendo cristãos, esquecem que no livro intitulado "o Novo Testamento", parte da Bíblia cristã, em citações do "Antigo Testamento", o nome divino fora substituído aqui por kyrios, o termo grego para "senhor", eufemismo mais usado no judaísmo (Ado-nai = Senhor) para substituir o tetragrama I-H-V-H, além de conter outros eufemismos como "os céus", "a majestade", etc.


O Nome


O tetragrama hebraico IH-VH é considerado santo demais para ser usado pelos judeus, e já dizia a torá "Não tomarás (TEB: pronunciarás) o nome do Eterno (IH-VH) em vão..." (Shemot [êxodo] 20, 7).

Em outro texto do humach (assim se referem os judeus ao "pentateuco"), consta que alguém fora apedrejado [tradução errônea... a pena de seqilá não era aplicada jogando-se pedras em alguém, e sim atirando-se o condenado sobre uma rocha, e, caso ele sobrevivesse, aí completavam a pena apedrejando-o, como consta no talmud [babilônico, tratado Sanedrin, 43b] por blasfemar "o nome" [hb.: hachem] - Vaiiqrá [levítico] 24, 11. Era esse o tetragrama IH-VH.

Casos como esses levaram os hebreus a criar um grande zelo pelo nome de Deus.


Ketiv e Qerê

Como já vimos, historicamente o povo judeu conservou ao máximo possível o texto hebreu, mesmo quando há erros gritantes no conteúdo em hebraico.

Por exemplo, às vezes a escritura traz o pronome pessoal "Ele" (em hebraico- hu - הוּא ), onde o contexto fala de uma mulher (logo, seria hi - הִיא - Ela). Nesses casos, o texto é deixado como está, porém tradicionalmente com as vogais da palavra a ser lida, e com um asterisco ou um círculo suspenso (°) apontando para uma nota marginal onde estão as consoantes certas seguidas pela palavra קרי (Qerê ou Qeri, significando "leia").

No caso citado, no texto estaria הִוא° apontando para a margem onde consta היא קרי .
O desconhecimento dessas regras fez com que se chegasse ao nome divino na idade média como "Jeová", pois sob as quatro letras sagradas se colocam as vogais de "Ado-nai*" - O Senhor, que é como se costuma ler o tetragrama IHVH.

Porque não "Yaohu"

Ultimamente tem crescido cada vez mais um ensinamento que diz ser o nome de Deus Yaohu, e o nome "de seu filho", Yaohúshua. Infelizmente, pessoas desconhecedoras do idioma hebraico caem nesses equívocos através dos "argumentos" citados. Seria esse mesmo o nome sagrado, "escondido" há séculos pelo judaísmo?

Para quem entende de hebraico o mínimo, não! Pelos seguintes motivos:

1- A vogal hebraica "qamas" (ָ), entendida como "ao" pelos seguidores de "Yaohúshua" não tem essa leitura em nenhum dos círculos étnicos judaicos. Quando não e lê "a", lê-se um "o" aberto, sendo essa a pronúncia provavelmente mais antiga.

2- A letra hê (h), no final de palavras não forma nunca uma vogal com o "u", senão "a", "e" e "o" somente. Consulte uma gramática hebraica qualquer, e isso é facilmente verificado.

3- O nome de "Jesus" não contém o nome divino, como eles querem fazer passar, embora esse assunto nada tenha a ver com nossa crença.

Apelamos que pessoas sinceras não se deixem levar por esse tipo de ensinamento. Argumentos têm todos os que querem se mostrar confiáveis...