quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Calendário Judaico: Meses e Festividades - Tichrê

1-  תִּשְׁרֵי - leia: TICH-RÊ

Chofar
Na contagem bíblica é o sétimo mês do ano (o primeiro era Nissan ou Aviv). Porém, desde muito, se comemora em 1 de tichrê o ano novo judaico (Roch Hachaná), chamado na Bíblia de "festa das trombetas".

Temos três importantes festas bíblicas ocorrendo em Tichrê, mais que em qualquer mês judaico: a "festa das trombetas", o "dia do perdão" e a "festa dos tabernáculos"

  Alguns costumes do ano novo judaico: comer alimentos doces, e tocar a famosa trombeta de chifre: o chofar. Dez dias depois do Roch Hachaná (ראש השנה), acontece o Iom Kipur (יום כפור), ou dia da expiação, dia de jejum mais severo em todo o ano para os judeus. Os dez dias entre Roch Hachaná e Iom Kipur são considerados dias de penitência e arrependimento,
Molho das "quatro espécies"
culminando no jejum e nas orações de Iom Kipur. No dia 15, comemora-se o primeiro dia da festa de Sucot (סכות), ou tabernáculos, em que se tem a figura da sucá, uma espécie de cabana coberta de material vegetal de forma que se possa ver o céu, e do ramo das "quatro espécies" de vegetais, que devem ser agitados juntos, tudo isso repleto de simbolismos. Sucot dura 7 dias. Um dia adicional é comemorado, chamado Chemini Assêret (שמיני עצרת), assim como uma festa de alegria extravagante, chamada SimHat Torá (שמחת תורה), onde se termina e começa o ciclo anual de leitura da torá. Na diáspora, Simhat Torá é comemorada um dia após Chemini Assêret.

No Tanakh, esse mês recebe o nome de Etanim (אתנים ).
Sucá



Quando se cumpriu Isaías capítulo 7

Se os textos de Isaías 7 e 9 não fazem referências a Jesus ("virgem" grávida, maravilhoso conselheiro, etc.), a quem fazem? Bem, não sabemos responder, mas de uma coisa pode estar certo, os textos não falavam de Jesus! Vejamos com cuidado:

Na verdade, antes que este menino (O EMANUEL) saiba rejeitar o mal e escolher o bem, a terra, de que te enfadas, será desamparada dos seus dois reis (REZIN, da Síria e PECAH, de Israel). Porém o Senhor fará vir sobre ti, e sobre o teu povo, e sobre a casa de teu pai, pelo rei da Assíria, dias tais, quais nunca vieram, desde o dia em que Efraim se separou de Judá. Porque há de acontecer que naquele dia assobiará o Senhor às moscas, que há no extremo dos rios do Egito, e às abelhas que estão na terra da Assíria; (Isaías 7,16-18)

Ok. Vejamos o que sucedeu aos reis que eram o motivo das preocupações do rei Achaz:

Nos dias de Peca, rei de Israel, veio Tiglate-Pileser, rei da Assíria, e tomou a Ijom, a Abel-Bete-Maaca, a Janoa, e a Quedes, a Hazor, a Gileade, e a Galiléia, e a toda a terra de Naftali, e os levou à Assíria. E Oséias, filho de Elá, conspirou contra Peca, filho de Remalias, e o feriu, e o matou, e reinou em seu lugar, no vigésimo ano de Jotão, filho de Uzias. (2 Reis 15, 29-30)

E o rei da Assíria lhe deu ouvidos; pois o rei da Assíria subiu contra Damasco, e tomou-a e levou cativo o povo para Quir, e matou a Rezim. (2 Reis 16, 9)

Vemos então registrado no livro dos reis, de como os dois reis citados por Isaías viram o seu fim, como previsto pelo profeta. Repare no texto de Isaías que isso aconteceria antes que o "Emanuel" tivesse consciência de rejeitar o mal e escolher o bem, ou seja, em sua primeira infância. Pra quem lê o texto de Isaías sem ideias anteriores, é claro que o "Emanuel" (filho de uma mulher jovem que o rei conhecia, e que, provavelmente JÁ ESTAVA GRÁVIDA) era um sinal para o rei Achaz, naquele tempo, sobre a ameaça desses reis, e não uma profecia apontando para séculos e séculos depois, com a virgem Maria e Jesus.

Oseias 11,1 - O texto mais distorcido pelo Novo Testamento!!!

É comum um cristão, ao ouvir falar que os judeus não acreditam em Jesus como messias, ficar impressionado, pois para ele parece que há no Novo Testamente documentação mais que suficiente para comprovar que Jesus é sim o messias prometido aos judeus. Os evangelhos têm uma preocupação fantástica em comprovar a credibilidade de Jesus e seus seguidores usando passagens da Bíblia Hebraica (Antigo Testamento), de forma que muitíssimos textos são tomados como "profecias messiânicas".

O que nem todos os cristãos sabem é que os judeus que se dispuseram a analisar com sinceridade o Novo Testamento acharam só nas cinco primeiras páginas do evangelho de Mateus (o "tapete de boas vindas" do NT) problemas, contradições e mau uso de textos da Bíblia Hebraica à vontade, fazendo que caia tudo em descrédito imediatamente. Por exemplo: profecias que simplesmente não existem em todo o texto do Tanakh ("ele será chamado nazareno", finalzinho do cap. 2), o problema de Jesus ser gerado "pelo espírito santo", e não por um homem descendente de David, que é absolutamente necessário para que ele seja reconhecido como messias, e o principal: um monte de textos usados de forma totalmente imprópria pelos seguidores de Jesus!

Nessa postagem curta analisaremos apenas um desses textos. Já vimos um pouco sobre Isaías caps. 7 -9, em outra postagem. Aqui falaremos sobre Oseias 11, citado por Mateus 2, 15.

Vamos ver o texto de Mateus:

E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho. (Mateus 2, 15)

Ou seja, para o autor do evangelho, a profecia "do Egito chamei meu filho" era uma previsão da volta de Jesus com seus pais do Egito para a terra de Israel, após a morte de Herodes.

Vejamos agora o texto do Tanakh citado aqui:

Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei a meu filho. Mas, como os chamavam, assim se iam da sua face; sacrificavam a baalins, e queimavam incenso às imagens de escultura. Todavia, eu ensinei a andar a Efraim; tomando-os pelos seus braços, mas não entenderam que eu os curava. Atraí-os com cordas humanas, com laços de amor, e fui para eles como os que tiram o jugo de sobre as suas queixadas, e lhes dei mantimento. Não voltará para a terra do Egito, mas a Assíria será seu rei; porque recusam converter-se. (Oséias 11,1-5)
A leitura simples deste texto nos leva às observações:


  1. O assunto do texto de Oseias é Israel.
  2. O texto, num primeiro momento não se trata de profecia, é uma narração do amor de Deus por Israel no começo de sua história (Êxodo do Egito. Lembre-se do texto "Israel é meu filho..." - Êx. 4, 22);
  3. O personagem do texto, não obstante ser amado por Deus, o rejeitava, praticando todo tipo de idolatrias. Isso seria Jesus???
  4. O Egito é novamente citado no v. 5, mostrando que o personagem do texto (Israel) não voltará ao Egito.
Não é difícil perceber que uma parte mínima do texto foi usada pelo Novo Testamento, totalmente RASGADA de seu contexto e DISTORCIDA de seu sentido original! Oseias fala do amor de Deus pelo povo de Israel, e as idolatrias deste, sobretudo do reino do Norte ("Efraim"), que deveria cair em cativeiro.

Coisas que não se ouve na igreja...

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Beber e fumar são pecados???

O que aconteceria se um evangélico de uma da maioria das igrejas do Brasil surpreendesse um "irmão" bebendo ou fumando? Com certeza ficaria escandalizado, ou então, com o perdão da brincadeira, julgaria que a maior parte das hostes e autoridades infernais teria tomando posse do corpo do "servo de Deus". Até mesmo alguns católicos e pessoas sem religião, influenciados por esse moralismo popularizado pelos evangélicos, consideram esses hábitos impuros e desaconselháveis, mesmo quando não induzem ao vício.

Padre, judeu ortodoxo, muçulmano e pastor fumantes. Com a exceção do muçulmano, certamente todos eles também apreciam uma boa bebida alcoólica.

Curiosamente, não há nada no seio das religiões abraâmicas que proíba o álcool e o tabaco (apenas o islamismo proíbe o álcool), porque não há nada na Bíblia que os proíba!

É uma lástima ver como alguns líderes inventam eles mesmos o que é certo e o que é errado, e ainda dizem que a Bíblia é seu único guia! Tais líderes são profundamente desonestos quando pegam textos isolados da Bíblia que parecem desaconselhar o vinho e usam aquilo como doutrina. Vi um pastor que chegou ao absurdo de dizer que não é verdade que o vinho tem propriedades positivas para a saúde, fato conhecido há muito, havendo até cientistas que desenvolvam pílulas que reproduzem o efeito benéfico da bebida¹.

Vamos ver pacientemente algumas ocorrências de vinho na Bíblia?

Grandes "apreciadores" bíblicos


E apresentou-lhes as porções que estavam diante dele; porém a porção de Benjamim era cinco vezes maior do que as porções deles todos. E eles beberam, e se regalaram com ele.
Gênesis 43:34

" se regalaram com ele" seria, como traduz o rabino Meir Matzliah Melamed², "embriagaram-se com ele". Há alguma censura aqui ao comportamento dos irmãos de José?

E Mardoqueu escreveu estas coisas, e enviou cartas a todos os judeus que se achavam em todas as províncias do rei Assuero, aos de perto, e aos de longe, Ordenando-lhes que guardassem o dia catorze do mês de Adar, e o dia quinze do mesmo, todos os anos, Como os dias em que os judeus tiveram repouso dos seus inimigos, e o mês que se lhes mudou de tristeza em alegria, e de luto em dia de festa, para que os fizessem dias de banquetes e de alegria, e de mandarem presentes uns aos outros, e dádivas aos pobres. Ester 9:20-22

O texto não faz referência direta ao consumo de álcool nesses banquetes extravagantes (e é necessário?), mas entre os judeus, a quem a lei diz respeito, é difundido o costume de praticar excessos durante a festa de purim, de forma que certo rabino do talmud afirmou que "uma pessoa é obrigada a beber em Purim até não saber mais a diferença entre 'amaldiçoado seja Haman' e 'abençoado seja Mordechai'"!!!!! ³

Elogio bíblico ao vinho

Ele rega os montes desde as suas câmaras; a terra farta-se do fruto das suas obras. Faz crescer a erva para o gado, e a verdura para o serviço do homem, para fazer sair da terra o pão, E o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem. Salmos 104:13-15

E também que todo o homem coma e beba, e goze do bem de todo o seu trabalho; isto é um dom de Deus. Eclesiastes 3:13

Pra que serve o vinho?


Não é dos reis, Lemuel, não é dos reis beber vinho; Nem dos príncipes dizer: Onde está bebida forte? Para não suceder que bebam e se esqueçam da lei, E pervertam o direito de quem anda aflito. Dai bebida forte ao que está para perecer, E vinho ao que está em amargura de coração. Beba um tal, e se esqueça da sua pobreza, E não se lembre mais da sua miséria. Provérbios 31:4-7

Em que gastar seu dízimo?


E quando o caminho te for tão comprido que os não possas levar, por estar longe de ti o lugar que escolher o Senhor teu Deus para ali pôr o seu nome, quando o Senhor teu Deus te tiver abençoado; Então vende-os, e ata o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que escolher o Senhor teu Deus; E aquele dinheiro darás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, e por ovelhas, e por vinho, e por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; come-o ali perante o Senhor teu Deus, e alegra-te, tu e a tua casa; Deuteronômio 14:24-26

Quem mais bebia vinho?


O mestre supremo do cristianismo!

Porque veio João o Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e dizeis: Tem demônio; Veio o Filho do homem, que come e bebe, e dizeis: Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e pecadores. Lucas 7:33-34
 Em verdade vos digo que não beberei mais do fruto da vide, até àquele dia em que o beber, novo, no reino de Deus. Marcos 14:25
Claro que os ensinadores da já tão citada religião vão dizer que se trata de suco de uva, e não de vinho... e pra enganar você, vão recorrer às "línguas originais" e fazer grande mirabolância pra dizer que Jesus podia ser duas vezes judeu, mesmo assim, não curtia um vinho na páscoa... É pra rir? O vinho da Bíblia não era vinho? Então Noé embriagou-se a ponto de tirar a roupa e sair nu, de suco de uva? Os convidados das festas de casamento e os pecadores beberrões festeiros e prostitutas cuja companhia João Batista evitava, mas Jesus não, só bebiam suco de uva? Vamos lá, né?

E como explicar os "textos que reprovam"?


O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio Provérbios 20:1

Bem, se esse texto fosse a prova bíblica definitiva que a bebida é pecado, logo, a lista de "santos pecadores" é grande, dentre eles, o próprio Jesus!

Para esclarecer melhor a visão dos provérbios sobre o álcool, vejamos mais um versículo:

Não estejas entre os bebedores de vinho, Nem entre os comedores de carne. Provérbios 23:20

Logo, se por causa dessa reprovação proverbial é pecado beber álcool, comer carne também é! O que os provérbios sugerem é que não esteja o justo na roda dos que tem hábitos impuros ligados à bebida e à comida, que não seja entregue ao vinho mudando sua natureza em um bêbado repulsivo! Não há nada de proibição ao consumo aqui! O que é não saber interpretar diferentes linguagens! Não é porque um provérbio diz que o "vinho é escarnecedor" que ele vira pecado!

Só existia vinho no tempo da Bíblia?


Não! A cerveja tem pelo menos 6 mil anos de história também!4
Vamos parar de ser bíblicos demais e achar que, só por que o vinho é a única bebida alcoólica citada na Bíblia pelo nome, é a única autorizada! Percebamos que, muitas vezes o nome vinho é seguido na Bíblia de "bebida forte", ou seja, outras bebidas alcoólicas.

E onde fica o cigarro?


Mostramos que religiosos de tudo quanto é confissão, inclusive protestantes famosos como o escritor C.S. Lewis, eram fumantes.

O conhecimento de que tabaco pode trazer malefícios para a saúde é muito recente. Quase todo mundo há alguns séculos curtia um cachimbo ou charuto, e talvez pensasse que isso trouxesse até mesmo benefícios à saúde. Ora, se a Bíblia registra a tremenda gafe que "o sol parou", por que na época não sabia-se que a terra era que se movia, vamos fazer uma breve "reflexão cristã": se Jesus tivesse vindo à terra na Europa do século XVIII ou XIX, ele diria a seus discípulos que "fumar é pecado"? Ou, como diria algum pregador, "o cigarro é a chupeta do diabo"? Certamente eles não entenderiam e jamais aceitariam, visto que era algo muito mais do que normal.

Essa reflexão de "faz mal ou não" à saúde, na minha opinião, não está para o campo da religião. Muitos dos que dizem que fumar é pecado por fazer mal à saúde têm horrendos hábitos que fazem tão mal quanto a nicotina e o alcatrão.

Concluímos que o único motivo para uma religião cristã proibir o álcool ou o tabaco é mero PURITANISMO, sem apoio nenhum na Bíblia.  Você que diz que as Escrituras são seu único guia de fé e prática religiosa, quem está decidindo o que é feio e pecaminoso é "Deus" ou você?



________________________________________________________________


² Torá, a Lei de Moisés, rabino Meir Matzliah Melamed.



AOS VISITANTES

Desculpem a ausência!
Gostaria de agradecer profundamente a todos vocês que leram, comentaram, divulgaram, deixaram mensagens no chat.

Se possível em breve novas postagens.

"Até um tolo calado passa por sábio. O que se cala é tido como um entendido."

Provérbios 17, 28