domingo, 15 de março de 2015

A VERDADEIRA IMPORTÂNCIA DOS SACRIFÍCIOS NA LEI

A VERDADEIRA IMPORTÂNCIA DOS SACRIFÍCIOS NA LEI

A partir desta semana, a nação judaica no mundo todo estuda o livro de Levítico (conhecido pelos judeus como "e chamou" - Waiiqrá), livro em que se estudam principalmente os rituais sacerdotais do povo de Israel, principalmente os sacrifícios. Muitas pessoas se questionam "por que Deus instituiu os sacrifícios? Não seria um costume pagão? Deus precisa desses rituais sanguinários para perdoar pecados?".
De acordo com os sábios judeus através dos milênios, a instituição dos sacrifícios NUNCA teve como objetivo perdoar pecados, acalmar Deus, ou coisa assim. Para o grande sábio medieval Moisés Maimônides e para um Midrach (histórias e metáforas que explicam a Bíblia), a Torá regulamenta os sacrifícios porque os filhos de Israel, peregrinos entre cananeus e egípcios, não conheciam outra forma de culto que não aquela: o povo iria oferecer sacrifícios de toda maneira, ou a Deus ou aos ídolos. Que fosse para Deus! Nas "leis do arrependimento" (1, 3) de sua principal obra, o Michnê Torá, Maimônides afirma que mesmo que apresentasse sacrifícios, uma pessoa não obteria a expiação até que CONFESSASSE seus pecados. Logo, o que "perdoa" não é o sacrifício, e sim a intenção sincera de aperfeiçoamento. 

Nahmânides, outro grande sábio judeu, discorda da opinião de Maimônides que o sacrifício seria só um ato "tolerável", mas opina que o sacrifício servia para que a pessoa pensasse nas consequências de seu pecado e se arrependesse.
Quando Deus disse, através dos profetas que está farto dos sacrifícios (Isa. 1, 11 - 14 e outros textos) ele não está revogando sua Lei (como se o Rei do Universo, Oniciente pudesse estar errado e mudar de opinião), e sim reprovando os sacrifícios como rituais MECÂNICOS, sem real arrependimento.
Deus não precisa de templo, de sacrifícios, nem de orações. Nós, em nossa insignificância, é que precisamos de arrependimento, de reconhecer a soberania Divina e sua providência, e para isso a Lei mosaica, religião organizada -- e não bagunçada como vemos hoje em dia em algumas "fés" -- instituiu esses símbolos. Perdoem-me se ofendo a sensibilidade de alguns, mas SANGUE NUNCA PERDOOU NADA, o que Deus quer mesmo é que aperfeiçoemos nosso caráter e façamos a diferença.

P.S.:Essa foi uma postagem super rápida, que não tem a intenção de esgotar o assunto. Em breve, com a graça de Deus, tenho a intenção de falar mais sobre isso, como por exemplo que mostrar que nem todos os "sacrifícios pelos pecados" na Bíblia tinham sangue! Alguns realmente não eram sacrifícios animais.
DANILO
FONTES:
TORÁ, a Lei de Moisés, Editora Sêfer, comentário sobre Levítico 1