segunda-feira, 18 de julho de 2016

Vinho e bebida forte: a voz da Bíblia sobre as bebidas alcoólicas




O objetivo deste texto é analisar parte dos textos bíblicos que falam a respeito das bebidas alcoólicas, expondo a forma como o tema é visto nesse livro, e causando reflexões a respeito do tratamento atual do assunto em algumas religiões. Existem muitos “estudos” e coisas complicadas na internet a respeito do vinho, mas nossa abordagem aqui será simples e leve. Vamos deixar a Bíblia falar, simplesmente, e o leitor tem a liberdade de chegar a sua conclusão. É verdade que existe mais de uma palavra hebraica para o vinho. Geralmente é ensinado que um tipo era embriagante e outro não. Nesta coleção de textos, serão expostos apenas versículos que citam a bebida chamada yáyin (יין) em hebraico, para evitar a confusão.

a)     O vinho (yáyin, em hebraico) da Bíblia era com certeza embriagante:

“E bebeu do vinho (מִן-הַיַּיִן – min hayáyin), e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda.”
Gênesis 9, 21-21

“E disse-lhe Eli: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti o teu vinho (אֶת-יֵינֵךְ et yenêkha). Porém Ana respondeu: Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito; nem vinho nem bebida forte (וְיַיִן וְשֵׁכָר – veyáyin vechekhar) tenho bebido; porém tenho derramado a minha alma perante o SENHOR.”
I Samuel 1, 14-15

“Absalão ordenou aos seus homens: "Ouçam! Quando Amnom estiver embriagado de vinho (בַּיַּיִן - bayáyin) e eu disser: 'Matem Amnom!', vocês o matarão. Não tenham medo; eu assumo a responsabilidade. Sejam fortes e corajosos!"
II Samuel 13:28

“Acerca dos profetas: Meu coração está partido dentro de mim; todos os meus ossos tremem. Sou como um bêbado, como um homem dominado pelo vinho (יָיִן - yáyin), por causa do Senhor e de suas santas palavras.”
Jeremias 23, 9


b)     Os personagens bíblicos, justos inclusive, podiam beber e bebiam vinho (yáyin):

“Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho (וָיָיִן - vayáyin)”
Gênesis 14:18

“Então disse (Jacó): Faze chegar isso perto de mim, para que coma da caça de meu filho; para que a minha alma te abençoe. E chegou-lhe, e comeu; trouxe-lhe também vinho (יַיִן - yáyin), e bebeu.
Gênesis 27, 25-25

“Com prata comprem o que quiserem: bois, ovelhas, vinho ou outra bebida fermentada (וּבַיַּיִן וּבַשֵּׁכָר – uvayáyin uvachekhar), ou qualquer outra coisa que desejarem. Então juntamente com suas famílias comam e alegrem-se ali, na presença do Senhor, o seu Deus.”
Deuteronômio 14, 26


c)     O vinho é considerado bênção na Bíblia, e sua falta, maldição:

“Ele amarrará seu jumento a uma videira; e o seu jumentinho, ao ramo mais seleto; lavará no vinho (בַּיַּיִן - bayáyin) as suas roupas; no sangue das uvas, as suas vestimentas.”
Gênesis 49:11

“(Maldição: ) Plantarão vinhas e as cultivarão, mas não beberão o vinho (וְיַיִן - veyáyin) nem colherão as uvas, porque os vermes as comerão.”
Deuteronômio 28, 39

o vinho (וְיַיִן - veyáyin), que alegra o coração do homem; o azeite, que lhe faz brilhar o rosto, e o pão, que sustenta o seu vigor.”
Salmos 104, 15



d)     Vinho (yáyin) como parte dos sacrifícios para Deus:

“Com o primeiro cordeiro ofereça um jarro da melhor farinha misturada com um litro de azeite de olivas batidas, e um litro de vinho (יָיִן - yáyin) como oferta derramada.”
Êxodo 29,40

Para cada novilho deverá haver uma oferta derramada de meio galão de vinho (יָיִן - yáyin); para o carneiro, um litro; e para cada cordeiro, um litro. É o holocausto mensal, que deve ser oferecido cada lua nova durante o ano.
Números 28, 14


e)     Apenas algumas pessoas específicas eram proibidas temporariamente de beber vinho (yáyin), por motivo de voto feito ou de função desempenhada:

"Você (Arão) e seus filhos não devem beber vinho nem outra bebida fermentada (יַיִן וְשֵׁכָר – Yáyin vechekhar) antes de entrar na Tenda do Encontro, senão vocês morrerão. É um decreto perpétuo para as suas gerações.”
Levítico 10, 9

“Terá (o nazireu) que se abster de vinho e de outras bebidas fermentadas ( מִיַּיִן וְשֵׁכָר – miyáyin vechekhar) e não poderá beber vinagre feito de vinho ou de outra bebida fermentada. Não poderá beber suco de uva nem comer uvas nem passas.”
Números 6, 3

“O sacerdote os moverá perante o Senhor como gesto ritual de apresentação; são santos e pertencem ao sacerdote, bem como o peito que foi movido e a coxa. Depois disso o nazireu poderá beber vinho (יָיִן - yáyin).”
Números 6, 20


f)      A função do vinho está explícita em alguns versículos bíblicos: alegrar o homem! Um prazer lícito:

o vinho (וְיַיִן - veyáyin), que alegra o coração do homem; o azeite, que lhe faz brilhar o rosto, e o pão, que sustenta o seu vigor.”
Salmos 104, 15

Dê bebida fermentada aos que estão prestes a morrer, vinho (וְיַיִן - veyáyin) aos que estão angustiados; para que bebam e se esqueçam da sua pobreza, e não mais se lembrem da sua infelicidade.”
Provérbios 31, 6-7

“Portanto, vá, coma com prazer a sua comida e beba o seu vinho (יֵינֶךָ - yenêkha) de coração alegre, pois Deus já se agradou do que você faz.”
Eclesiastes 9, 7

O banquete é feito para divertir, e o vinho (וְיַיִן - veyáyin) torna a vida alegre, mas isso tudo se paga com dinheiro.”
Eclesiastes 10, 19


g)     É possível cometer transgressões e ter problemas ao beber vinho (yáyin) em excesso, assim como ao comer carne ou fazer outras coisas prazerosas lícitas:

“Ana respondeu: "Não se trata disso, meu senhor. Sou uma mulher muito angustiada. Não bebi vinho nem bebida fermentada (וְיַיִן וְשֵׁכָר – veyáyin vechekhar); eu estava derramando minha alma diante do Senhor. Não consideres, pois, a tua serva por mulher má (...)”
I Samuel 1, 15-16

O vinho (הַיַּיִן - hayáyin) é zombador e a bebida fermentada provoca brigas; não é sábio deixar-se dominar por eles.”
Provérbios 20, 1

“Quem se entrega aos prazeres passará necessidade; quem se apega ao vinho (יַיִן - yáyin) e ao azeite jamais será rico”.
Provérbios 21, 17

“Não ande com os que se encharcam de vinho (יָיִן - Yáyin), nem com os que se empanturram de carne.”
Provérbios 23, 20

“Ai dos que se levantam cedo para embebedar-se, e se esquentam com o vinho (יַיִן - Yáyin) até a noite!”
Isaías 5, 11

Harpas, liras, tamborins, flautas e vinho (וָיַיִן - vayáyin) há em suas festas, mas não se importam com os atos do Senhor, nem atentam para a obra que as suas mãos realizam.”
Isaías 5, 12


Constatações

·        A bebida citada na Bíblia como yáyin (vinho) causa embriaguez, e não é suco de uvas;
·        A Bíblia permite claramente o uso do vinho (yáyin). Deuteronômio deixa claro que o fiel poderia comprar a bebida com o dinheiro de seu segundo dízimo (14, 26), e os autores de textos poéticos (Salmos, Provérbios e Eclesiastes) elogiaram o vinho como fonte de alegria e prazer, ou seja, o uso recreativo do vinho é lícito de acordo com as Escrituras;
·        Não só o vinho (yáyin) é permitido na Bíblia. Muitos dos textos acima, inclusive o já citado de Deuteronômio, também citam como permitido o que se chama “bebida forte” ou “bebida fermentada”, chekhar, em hebraico;
·        É absurdo, portanto, afirmar que o consumo de bebidas alcoólicas é sempre impróprio para pessoas que seguem os valores da Bíblia;
·        É verdade que existem textos bíblicos “moralistas” que associam o vinho à imprudência e ao pecado, como vimos acima. Não há dúvida quanto a isso. Mas os mesmos textos também citam o consumo de carne (Pv 23, 20), azeite (21, 17), e música (Is 5, 12). Se esses versículos proíbem o vinho, como algumas pessoas que ignoram todo o resto da Bíblia afirmam, então o consumo de carne, o de azeite de oliva e ouvir instrumentos musicais também são proibidos;
·        Se o vinho, apesar de ser totalmente permitido, pode ser fonte de erro, é por falta de moderação e de bom comportamento da pessoa que dele faz uso, e não da bebida em si. Os versículos que aconselham cautela quanto ao vinho não usam frases como “é proibido beber” e “é pecado beber”, e sim expressões mais parecidas com “não se deixar dominar” e “não se encharcar”;
·        As pessoas que usam textos em que o vinho é temporariamente (!) proibido a sacerdotes e aos “nazireus” para afirmar que a bebida é proibida a todos estão distorcendo seriamente a Bíblia, ignorando muitos versículos “a favor” do uso do vinho e de outras bebidas. O sumo sacerdote e todos os nazireus também não podiam estar na presença de seus parentes mortos (Lv 21,11; Nm 6, 6). Por que os fiéis de hoje não estão proibidos de se despedirem de seus entes queridos?
·        Conclui-se portanto, que os argumentos “anti-bebidas” que as pessoas conseguem criar, através de malabarismos com textos, são falaciosos e surgem apenas por causa de um puritanismo exagerado de muitos religiosos. Quem diz que segue a Bíblia não tem o direito de proibir o que a Bíblia não proíbe. Costumes ligados ao alcoolismo e aos excessos estão proibidos, álcool em si, não está.

Observação: nem o Novo Testamento proíbe as bebidas alcoólicas!

            Neste texto, tratamos da questão do vinho e demais bebidas no que o leitor cristão chamaria de Antigo Testamento, que é nosso objeto principal de estudo neste blog. Mas não é só a Bíblia judaica que permite o vinho. A Bíblia cristã, o Novo Testamento, também tem versículos que deixam claro que até o próprio Jesus bebia vinho (Lucas 7, 34). Jesus transformou água em vinho para o uso em um banquete, segundo João 2, 7-9. O vinho está presente no ritual chamado eucaristia/“ceia” (Mateus 26, 27-29). Apenas o excesso de álcool (embriaguez) e o apego à bebida são condenados (Efésios 5, 18), principalmente para pessoas de destaque nas comunidades (I Timóteo 3, 3; 8; Tito 1, 7). Ora, se o excesso de bebida é proibido para os bispos e diáconos, é porque a bebida em moderação é permitida (até aconselhada por questão de saúde em I Timóteo 5, 23)! O versículo usado para condenar o vinho no Novo Testamento, Romanos 14, 21, diz “É melhor não comer carne nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve seu irmão a cair.”. Se esse texto proíbe vinho, não sei porque os cristãos comem carne! Se a bebida (com a devida moderação) é permitida aos líderes, quanto mais é para os liderados! Daí eu pergunto, finalmente: como pode alguém dizer “não sigo opiniões de homens, sigo a Bíblia apenas”, e defender que o consumo de bebidas está totalmente proibido, sendo que não segundo a Bíblia e o Novo Testamento?

Nenhum comentário:

Postar um comentário