segunda-feira, 13 de julho de 2015

ADORADOR OU MOABITA: A Quem Deus Protege?

REFLEXÃO BÍBLICA

No livro de Números, a partir do capítulo 22, lemos a história de Balac, rei do país chamado Moab, e de Balaão, um profeta-feiticeiro (NÃO HÁ APENAS PROFETAS DO BEM!) que, não conseguindo amaldiçoar ao povo de Deus, propôs um conselho covarde e baixo àquele rei: que fizesse as mulheres midianitas (povo aliado) seduzirem os israelitas, para os provocarem à prostituição e idolatria públicas, o que causou a morte de milhares de israelitas. 

Podemos tirar dessa história algo SURPREENDENTE para nossas vidas espirituais. Acontece que Deus mandou que o povo se vingasse dos midianitas, exterminando-os (Núm. 31, 2), mas nada disse em relação aos moabitas, que foram os "mandantes do crime". Sabe por que isso aconteceu? De acordo com os sábios judeus, porque o Senhor saberia que no futuro haveria uma moabita chamada RUTE, de cuja descendência nasceria o rei Davi e toda a dinastia dos reis de Israel. (Rt. 4, 3 ss).

A lição é a seguinte: O Criador e Mantenedor do Universo, em sua infinita sabedoria, obra no presente sabendo das consequências que as ações causarão NO FUTURO, para as pessoas e as nações! NÃO ACHE VOCÊ QUE DEUS TE PROTEGE SÓ PORQUE VOCÊ É RELIGIOSO, e despreza os que não o são! Até o rei idólatra e malvado Nabucodonosor da Babilônia foi chamado por Deus de MEU SERVO (Jer. 27, 6). Deus NÃO precisa que os seres humanos o bajulem! Ele não fica interferindo na natureza o tempo todo, fazendo milagres apenas para exaltar os que o louvam e castigar os ímpios. A religião NUNCA deve ser entendida como uma forma de comprar os favores de Deus. Esse pensamento é a idolatria em seu estado puro! Até quando Deus recompensa um justo (ver história de José, que, apesar de suas profundíssimas virtudes, tinha defeitos, claro, como falar mal de seus irmãos), é sabendo, em sua INFINITA SABEDORIA as consequências futuras das coisas.

As passagens bíblicas que falam de bênçãos garantidas para quem obedecer aos preceitos devem ser entendidas como fala AO POVO coletivamente, NÃO A INDIVÍDUOS. Se o povo peca, recebe as amargas consequências de seus atos coletivamente, e até um Jeremias e um Ezequiel pagam por isso. Deus não é nem um pouco afetado pelos louvores nem pelos pecados do gênero humano, muito pelo contrário, se toda a humanidade deixasse de existir, Ele, bendito seja, continuaria existindo sem a menor alteração. O homem não conhece Seus desígnios, e fica com essa mesquinharia de dizer que Deus lhe deve. Idolatria pura. Não se negocia com Deus. Até Nabucodonosor é servo dEle, quando Ele quer. Até o povo de Moab é protegido por Ele (episódio de Balaão, citado em uma postagem anterior), para satisfazer a Seus desígnios séculos e séculos depois. Qualquer religião que afirme -- ou sugira nas entrelinhas -- que Deus tem a obrigação de proteger quem louva a Ele é idólatra.

2 comentários:

  1. Saudações, gostaria de tirar uma dúvida.
    Segundo seu texto, os judeus afirmam que os moabitas foram poupados porque o senhor sabia que no futuro os reis de Israel seriam ddescendentes da moabita Rute.
    Mas o mesmo Deus proibiu moabitas de fazerem parte da congregação do senhor ( Deuteronômio 23:3), aliás proibiu até de procurar os moabitas (Deuteronômio 23:6) coisa que o próprio Davi fez (1 Samuel 22:3)
    Obs:Os textos de Deuteronômio são estatuto perpétuo.
    Pode por favor me explica como pode isso????
    Aguardo ansioso sua resposta.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pela pergunta!

    Não fazer parte da congregação do Senhor, de acordo com os rabinos, significa que homens moabitas não poderiam se casar com mulheres israelitas, formando famílias mistas (Maimônides, sêfer hamitsvot M.P. 53). O homem moabita ou amonita poderia se converter ao judaísmo, mas teria que manter sua linhagem à parte. Isso não era um "racismo" ou coisa assim. Na verdade, havia outras pessoas que não poderiam casar com mulheres israelitas: quaisquer pessoas que nascessem de relacionamentos proibidos (os chamados bastardos - Deut 23, 3) e homens incapazes de procriar (25, 2). Não haveria problema em Rute, como mulher, entrar no povo, e sim de homens.

    Posteriormente, salvo engano, todos esses povos se perderam, e nenhum judeu liga mais para essa questão, por não ser aplicável.

    O AUTOR

    ResponderExcluir